Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget

National Geographic POD

Seguidores

quinta-feira, outubro 13, 2005

Os vegetais


Os vegetais são nossos amigos, não nos devemos esquecer de os ingerir todos os dias em todas as nossas refeições.
As crianças gostam de doces mas também podem gostar de cenoura, de couves e alfaces,tomates, fava , ervilhas etc.Para isso basta que alguém lhes mostre as verdades dos vegetais, a sua importância e para a nossa saude e qua a sua função no nosso organismo.Quando eu era pequena, não gostava de comer sopa, alface e cenouras, feijão, favas e nabiças. No entanto sempre fui obrigada a comer estes legumes e outros. Aprendi a gostar deles de uma forma forçada. Hoje fazem parte das minhas refeições e passei a apreciá-los com todo o prazer apenas porque compreendi os benefícios das suas propriedadesNão será pela força certamente, mas sim pela forma como nós adultos nos comportamos em relação aos vegetais, uma vez que funcionamos como modelos. Quando estamos a tomar as nossas refeições em frente das crianças e dissermos que não gostamos de couves ou se fizermos caretas às couves estes tendem a repetir as palavras dos adultos e imitar os nossos gestos, principalmente quando são muito pequenas. O mesmo se passa com outros comportamentos comportamentos.Por isso quando digo que " compreendi os seus benefícios" foi já depois de ter crescido quero dizer que a minha aprendizam não foi a mais correcta.Obrigavam-me a comer a sopa mas os adultos que estavam ao meu lado recusavam-se a comer a mesma sopa. Eu não conseguia compreender porque é que eles se recusavam e eu não podia recusar. Uma das formas que poderá ajudaras crianças a descobrir o gosto pelos vegetais poderá ser através de actividades em que as crianças contactem directamente com os vegetais antes de serem cozinhados. Por exemplo construir com as crianças uma roda dos alimentos vivos( actividade sugerida por uma nuticionista durante um projecto sobre alimentação).Outra actividade poderá ser uma pesquisa na internet ou em livros sobre um vegetal à escolha.Também se podem organizar debates com grupos de crianças sobre o tema " vegetais" ou outro " frutas" por exemplo, e registar as conclusões das suas opiniões . As vantagens e as desvantagens de comer vegetais ou outro alimento que se pretenda trabalhar e depois elaborar um suporte de comunicativo; cartaz, livro, acetatos etc.Agradecia que se algèm tivesse mais informações ou questãos deixassem o seu comentário

19 comentários:

Félix Rodrigues disse...

Parabéns pelo Blog.

Uma estratégia que poderá ser interessante realizar com as crianças, de modo a promover o consumo de vegetais, seria a construção de uma lista das propriedades físicas que gostariam de ter, como por exemplo músculos fortes, boa visão, boa audição, etc, e incentivá-los a encontrar o alimento que melhor potenciaria esse aspecto. Talvez partindo daquilo que eles pretendem e apontar-lhes uma caminho para o atingirem, possa ser uma boa estartégia.

elisabete disse...

Gostaria de começar por agradecer a visita do Dr Felix Rodrigues bem como a estratégia sugerida no seu comentário. Prometo que na próxima semana vou experimentar e depois colocarei no blog a descrição das actividades bem como os resultados observados.
Elisa

Félix disse...

Fiquei tão entusiasmado com os vossos blogs que também fiz um.
Obrigado por me terem chamdo à atenção. Chama-se Desambientado e o link é http://desambientado.blogspot.com

Félix

rgea disse...

Muito interessante esta reflexão!

Só para animar, gostaria de deixar umas perguntinhas do lado da reacção (da miudagem... enfim):

1.Precisamos mesmo de comer todos os alimentos?
2. E precisamos de gostar de todos eles?
3. E precisamos de começar a gostar de todos ao mesmo tempo?

Bem sei que precisamos de todos os tipos de alimentos, mas se eu (ou um miúdo) embirrar com couves-de-Bruxelas, porquê comprar esta guerra? Não será mais sensato comer repolho, couve-galega, couve-branca, couve-roxa,... e ficar com as minhas necessidades deste tipo de alimento satisfeitas?

Na verdade não precisamos de gostar para comer; não fazemos só o que gostamos na Vida... e não é mau que as crianças percebam isso. Mas talvez suavize o esforço se introduzirmos consistentemente o argumento: "quem não gosta... come apenas um pouco de". Creio que com a continuação deste "muito pouco" a maior parte de nós se habitua ao sabor e um dia... gosta mesmo!

Continua!

Rosalina

Félix Rodrigues disse...

Coloquei um post sobre uma temática que te poderá interessar.

Cumprimentos.

elisabete disse...

Começo por agradecer a vista da Drª Rosalina a este blog e bem como as questões que colocou. São muito pertinentes e refletem muito bem as duvidas que as crianças põe mas que também podem ser as dúvidas dos adultos.
Assim sendo, vou procurar dar algumas as resposta com base numa reflexão muito pessoal:
Em relação à primeira questão,de facto não é obrigatoriamente necessário comer de todos os alimentos quando dispomos de uma grande diversidade de alimentos que nos permita ter uma alimentação muito variada.O facto de comermos de todos os alimentos, enriquece as nossas faculdades gostativas pelas experiências que a diversidades de sabores nos proporcionam, bem como nos permite ingerir todos os nutrientes necessários ao funcionamento do nosso organismo.

Relativamente à segunda questão, não somos obrigados a gostar de todos os alimentos como também não somos obrigados a gostar de muitas coisas, por isso podemos fazer substituições como foram referenciadas e resolver algumas guerras. Por outro lado, nunca sabemos o dia de amanhã e podemos depararmo-nos com escassez de alimentos, ai não há outra solução senão comer o que temos à nossa frente ou o que houver disponível. Por isso é bem melhor habituarmo-nos a gostar de tudo porque dai poderá depender a nossa sobrevivência. Sabemos que ainda há muitas pessoas neste mundo que morrem de fome e outras que não sabem o que quer dizer " não gosto de ..." porque todos os alimentos são para eles um verdadeiro manjar.

Quanto à ultima questão, ainda bem que ela se colocar, pois significa que temos abundância de alimentos e podemos escolher.De facto não temos que começar a gostar de todos ao mesmo tempo, mas quanto mais cedo aprendermos a gostar de todos os alimentos melhor. Deste modo temos mais oportunidades de conhecer melhor o sabor dos alimentos e criar hábitos alimentares mais saudáveis.

è de facto importante que as crianças aprendam desde logo que nem sempre podemos fazer só aquilo que queremos ou só fazemos o que gostamos e o papel do educador seja pai, mãe ou educador, é ajudá-los a aprender a tomar decisões de uma forma responsável e coerente.
Aprender a gostar de qualquer coisa não me parece ser processo imediato, requer tempo, paciência, força de vontade e fundamentalmente Motivação de quem aprende e de quem ajuda a aprender.

Espero ter conseguido responder e promento que vou continuar!
Muito obrigado pelo insentivo!

elisabete disse...

Dr. Félix muito agradecida pelo post, já li e também deixei um comentário.
Esta temática está a ser cada vez mais interessante.

Felix Rodrigues disse...

Quando,trabalhamos o que gostamos, reparamos em tantas coisas que antes não víamos. Continua com esse entusiasmo.

Félix

Cidálai disse...

SAbes Elisabete, tenho na minha agenda semanal a culinária e vou aproveitar algumas das tuas dicas e tb do Dr. Félix para complementar esta estratégia.
Gostei do teu blog
Cidália.

Fátima Silva disse...

É a primeira visita que faço ao teu blog. Parabésn!
Digamos que tenho de me penitenciar em relação aos legumes.
A minha relação com eles é forçada, sempre que posso deixo-os de lado, principalmente quando se apresentam em forma de "sopa".

Desambientado disse...

Votos de rápidas melhoras.

Anônimo disse...

Ei moça, vê lá se te pões boa rapidamente! Não te esqueças de incluir muita verdura na tua alimentação!!!
Bjokas,
Cris

vidal disse...

Amiga
Finalmente acedi ao teu blog. Parabéns!
A tua reflexão tirou-me o fôlego. Está genial!
Espero que tenha corrido tudo bem contigo. Desculpa desta vez não ter estado presente, mas estás no meu pensamento.
Beijinhos
Eva

Fátima Silva disse...

Elsabete,
Soube que tinhas sido operada e que estavas bem, graças a Deus. Mas, como não possuo o teu contacto telefónico e o mail da universidade anda pelas ruas da amargura, decidi deixar-te aqui uns beijinhos para recuperares depressa.
Se precisares de alguma coisa é só dizeres.

elisabete disse...

Caras amigas Cidália, Cristina, Fátima e Eva.
Gostaria de agradecer as vossas palavras de atenção e apoio.
A minha recente experiência pessoal, trouxe alguns ensinamentos e que gostava de partilhar.

Em relação à operação, estou a ficar melhor e parece que a minha recuperação está a ser boa. Para isso estou a levar muito a sério os cuidados com a minha alimentação.
Durante os primeiros dias, a sopa foi o úníco tipo de comida que pude ingerir e ninguém pode imaginar a felicidade que senti quando voltei a comer um simples caldo de legumes após 48 horas de gejum.
Mas a minha melhor experiência foi ter testemunhado a alegria que uma companheira de quarto sentiu, quando ao fim de 2 meses de internamento, comeu a sua primeira sopinha, um caldinho leve de legumes sem sal!
Quando se vive este tipo de situações aprendemos a dar valor a pequenas coisas como: saborear com prazer um simples prato de sopa, ou poder beber um copo de água.

Em relação à Cidália fico muito contente por teres incluido na tua agenda semanal a culinária. Goatava que depois me contasses como resultou. São sempre grandes aprendizagens para nós e para eles. O nosso papel de educadores é proporcionar experiências de aprendizagem, quanto mais diversificadas melhor. Força!

Em relação à Cristina, pois bem, moça, eu não me vou esquecer de continuar a comer as minhas verduras, como já estava a fazer. Por outro lado, o que nos vem ai pela frente exige muita energia e nada melhor que recargar muito bem as baterias.

Para a Eva, pois bem minha cara amiga, espero que depois de teres lido o blog tenhas ido comer para recuperar as forças! Eu sei que as situações de stress por vezes tiram-nos o apetite, por isso devemos tomar a falta de apetite como um aviso.

Para a Fátima pois é melhor fazer as pazes com os vegetais e nada melhor que reflectir um pouco sobre o assunto. Já agora com convences os teus filhotes a comer a sopa?!
Pois bem uma das estratégias que o Professor Félix indicou, foi fazer com as crianças uma listas das qualidades físicas que cada um gostariam de ter e depois encontrar o melhor alimento que potencia esssas qualidades.Será que que também é uma boa estratégia para os adultos?
Experimenta Fátima!

elisabete disse...

Prf Félix
Estou a recuperar bém!
Tive oportunidade de ver a sua intervenção no programa " Bom Dia Açores" em relação à monitorização da presença de mercúrio nos peixes, no nosso mar.
Parece-me importante e necessária esta avaliação pois promove não só o interesse turístico mas também reforça a confiança nos nossos produtos bem como a qualidade dos serviços que a Universidade dos Açores presta a toda a população em geral, através da comunicação de informações e dos estudos científicos que se desenvolvem nas várias áreas e sobre a qualidade dos recursos naturais da região, mais concretamente os que estão relacionados com a saúde pública e qualidade de vida.

Óscar Lopes disse...

Olá Elisabete...
Penso que já ouviste falar de mim, pelo menos pela tua irmã Dina.
Depois das apresentações feitas, queria eu tb deixar aqui um pequeno comentário.
Em primeiro lugar, devo dizer que estou a trabalhar no Algarve e foi aqui que descobri o gosto pela leitura e desde que seja interessante me agarro a ela.
No caso do teu Blog, além de interessante é um tema que pode interessar a muita gente, pois trata-se de uma realidade a que costumamos fechar um pouco os olhos... Eu tb fui criado num ambiente em que "É pecado deitar pão fora" e portanto custa-me um pouco ver as pessoas hoje em dia a estragar tanto.
Mais ainda depois de ter estado em Timor-Leste e Angola. A realidade destes países é tão diferente da nossa. Por mais imagens que vejamos pela TV, da fome, da miséria, quando estamos lá presentes no local, deparamos com uma realidade totalmente diferente.
Bem gostaria de dizer que a realidade não é tão má, mas é bem pior... O facto de termos dezenas de miúdos a pedir dinheiro ou algo para comer todos os dias, em qualquer local onde passamos, revela-se mais complicado do que se possa imaginar. O facto de não haver as mínimas condições de higiene, ofacto de se passearem pelo meio dos esgotos, dado que estes são a céu aberto, é uma experiência merecedora de reflecção. Não vou entrar em promenores, pois não estou aqui para relatar estas situações, mas sim responder um pouco àquelas perguntas de certas pessoas... Não temos que gostar de todos os alimentos, mas se pensarmos bem, quando não há mais nada aprendemos a gostar de tudo. Eu vi pessoas a comerem os cães, gatos e até ratos que apanhavam, por não terem mais nada de comer. Isto tudo para compreendermos um pouco a realidade do mundo onde vivemos e deixo uma pergunta: "Estaremos nós preparados a enfrentar uma situação destas?"
Elisabete, muitos parabéns por este Blog, penso que deveria ser divulgado pelo mundo...

Mt obrigado por este espaço...

elisabete disse...

Olá Oscar!
Muto prazer em conhecer-te. De facto já ouvi falar muito de ti pela minha irmã Dina e espero conhecer-te pessoalmente.
Gostava também desde já agradecer a tua visita ao meu blog sobre os alimentos e a alimentação.
O que me relatas-te foi impressionante, a tua experiência em paíse que noutros tempos foram colónias portuguesas e com grandes potenciais económicos. De facto é muito triste, principalmente para mim que nasci em Angola. A fome é um flagelo feito pelos países mas ricos que promovem a guerra e a destruição.
Muito obrigado pelo teu entusiasmo
os blogs servem para isso mesmo trocar opiniões, divulgar, promover a partinha e o conhecimento.
Promento que vou continuar com as minhas reflexões.
Gostaria de escrever mais mas estou um pouco limitada.
Um dia destes encontramonos por aí.

Chef Gither Hudack disse...

gostária de deixar aqui os parabens merecido pela criação do blog, tbm estou criando um na area de gastronomia se puder me da uns toque .
http://hudackgastronomia.blogspot.com/