Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores

quarta-feira, maio 10, 2006

Será que um dia os alimentos nos faltarão?








Hoje, quando olho à minha volta e vejo as minhas crianças a aprender, a sorrir, a brincar apesar das suas amarguras e angustias silenciosas e que jamais conseguirei vislumbrar, sinto ainda algum alívio por " as minhas crianças" por enquanto ainda têm acesso aos alimentos em quantidadde e qualidade aceitável, ( penso eu). Por vezes não lhes consigo esconder o meu desagrado quando as vejo deitar fora uma peça de fruta, esmagar um iogurte ou um pacote de leite contra o asfalto da estrada ou a deitar metade de uma sandes no caixote do lixo. A minha primeira reacção é de indignação porque sempre fui educada para não deitar comida fora, costumavam dizer :" é pecado deitar pão fora" " não se pode estrgar nada" " os animais tambémprecisam de comer"., não me lembro de haver recolha de lixo naquela aldeia, as ruas e ao redor das casas estava sempre tudo limpo e asseado.Esses ensinamentos e essas recordações ainda estão presentes no meu consciente e inconsciente. Os momentos que testemunhei quando cheguei a Portugal em 1974 eram de escassez e pouca variedade de alimentos, as pessoas alimentavam-se do que produziam na agricultura, e da criação de animais domesticos.As mesmas pessoas não desperdiçavam nada, tudo era muito bem aproveitado , não havia muitos restos de comida e as cascas eram para alimentar os animais. Confesso que senti um grande choque, não estava habituada ao modo de vida das pessoas que aqui encontrei. As pessoas não passavam fome , aparentavam saúde e trabalhavam arduamente nos campos de manhã à noite, mas não tinham à disposição a quantidade de alimentos que hoje têm e nem tão pouco dinheiro para as adquirir. De facto mas não tinham acesso aos alimentos em quantidade e qualidade que é defendida pelas organizações como a FAO. Apesar de estar habituada a um modelo consumo muito mais abastado, muito semelhante ao que actualmente vivemos, em que o nível de vida era muito razoável, com direito a muitos luxos, acabei por me adaptar às circunstâncias e é com uma tremenda saudade que recordo esses tempos mais difíceis, mas que me aproximaram mais da natureza e da dureza da vida, do trabalho do campo, foram esses momentos em que a minha mãe não me podia dar os gelados, as coca-colas, os biscoitos, bolinhos e outras gluseimas a que estava habituada que me educaram e me ajudaram a formar este sentimento de respeito pelo pão de cada dia e pela consciencia de que "não temos nada na mão".
Isto tudo porquê? Porque quando se fala tanto da erradicação da pobreza e da fome no mudo e nada parece contribuir para que essa calamidade tenha fim. De facto esta preocupação tem dado origem aos mais variados movimentos de solidariedade e iniciativas diversificadas no sentido de involver e cooresponsabilizar os paises mais ricos no auxilio dos mais pobres.


A criação do Dia Mundial da Alimentação, 16 de Outrubro, foi uma das iniciativas da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação, no sentido de alertar as estruturas de poder e os cidadãos paraos problemas relacionados com a alimentação no mundo como a fome, a desnutrição a segurança alimentar. A comemoração do Dia Mundial da Alimentação foi escolhido em 1945 no Quebec, Canadà com a participação de 147 países menbros. No entanto , só a partir de 1981, se iniciaram as comemorações, dando destaque a um tema específico. Desde então vários comitês nacionais , escritórios regionais e organizações não gorvernamentais tem desenvolvido acções de mobilização apelando à sociedade cívil e as instituições privadas no sentido de todos encontrarem soluções para os problemas de fome no mundo e que se lute para que um dia todos tenham acesso a aos alimentos em qualidade e quantidade.

Mandar alimentos para os mais pobres, só não chega, o banco alimentar contra a fome apenas remedeia, não resolve. Sabesse que enquanto alguns morrem literalmente de fome e não apenas desnutrição, outros morrem por doenças causadas por excessos alimentares.
Quando se comemora na escola o Dia Mundial da Alimentação, de que é que se fala? de Alimentação saudável, roda dos alimentos, pirâmides alimentares, alimentos e mais alimentos... preparam-se refeições etc, etc.



Porque não falar dos reais problemas da alimentação no mundo, nos problemas ambientais que limitam os recursos naturais, como a destruição de habitats, perda de biodiversidade a poluição dos ar da água dos solos, os resíduos perigosos provenientes sitemas dos sitemas agroindustriais, nas cadeias de transformação e conservação dos alimentos, nos custos e benefícios, da transnacionalização do mercado e da globalização etc.


A educação alimentar passa por muito mais do que ensinar o que se deve ou não deve comer, dos alimentos saudáveis que fazem bem à nossa saúde e a dos outros? E o desperdiçio que assistimos? O comsumismo desenfreado é o comer sem ter fome .
Erradicar a fome não diz só respeito aos outros, às nações Unidas, aos políticos, aos governantes, às ONG. Não está assim tão longe de cada um de nós . E se um dia os alimentos nos faltarem, como vamos resolver o nosso prolema? A Ajuda internacional?

3 comentários:

Desambientado disse...

De 23 de Novembro a 2 de Dezembro, vai estar ao público, no Edifício novo do Campus de Angra do Heroísmo da Universidade dos Açores, a exposição de fotografia de Cristina Oliveira (Brasil) do Blog Lâmina D’água , da Maria de Deus do Blog Sentimentos (São Miguel) e de Vasco Oswaldo Santos (Canadá) do Blog Escriba. Os autores desse blogs estarão presentes na inauguração da exposição.
Estás desde já convidada para a sessão de abertura. Darei mais tarde informações.

Desambientado disse...

Convite

Decorrerá de 23 de Novembro a 2 de Dezembro, no Edifício Novo do Campus de Angra do Heroísmo da Universidade dos Açores, sito ao Pico da Urze, junto ao Palácio de Santa Catarina, a exposição fotográfica Arcos d’Água, da autoria de Cristina Oliveira-Brasil, autora do blog Lâmina d’Água, de Vasco Oswaldo Santos-Canadá, autor do blog Escriba e Maria de Deus Moreira – São Miguel, autora do blog Sentimentos.
A inauguração da exposição ocorerrá pelas 20:00 h do dia 23 de Novembro e contará com a presença física dos seus autores.
Venho por este meio, convidar-te, a ti e à tua família para estarem presentes. Será uma honra contar com a presença dos bloguistas Terceirenses na sessão da abertura.
Esta exposição surge exactamente da interacção e disponibilidade demonstrada na blogosfera.
O convite também é extensivo aos teus alunos, se por acaso quiserem visitar a exposição em qualquer hora entre os dias 24 de Novembro e 2 de Dezembro.
Envio-te o convite por emial,em nome dos autores da exposição, se bem que não passa de uma mera formalidade, porque estão desde logo convidados.


Cumprimentos:

Félix

Desambientado disse...

Há brilho nos pinheiros,
Como candeeiros,
Para imitar as estrelas,
As cores não são delas:
São escapadelas,
Fugazes e belas.
Que tragam:
Um Feliz Natal
Descomunal…

Félix